Futuro (in)certo

fonte/autor: Daniel Manzano – Seminarista do SBPV, membro da Igreja Batista do Itaim-SP

Em quatro anos de seminário vi coisas que ninguém acreditaria, fiquei amigo de todo tipo de gente e me vi em lugares que nunca imaginei conhecer. Mas sobretudo aprendi algumas verdades que levarei comigo muito além dos muros da Palavra da Vida. Dentre elas está o famoso bordão:  ̈Tal como é agora, será lá fora ̈. O apelo é claro, não adianta pensar que uma vez de volta a vida real faremos devocional, seremos estudiosos e úteis na igreja se já no seminário a preguiça reina e o mediocridade ganha espaço. Ao pensarmos em adolescentes é comum nos referirmos a eles como o  ̈futuro da igreja ̈.

A intenção é boa, mas a aplicação perigosa. É imperativo que quando pensamos em juventude pensemos também em como abençoa-la no presente. Jz 2:10 narra a história de uma geração que sabia quem era Deus, mas não o reconhecia como Senhor. Gente que sabia de fé de seus pais, no entanto, isso tudo não passava de história passada. Parte por causa da dureza de coração e parte em razão de pais que falharam em transmitir a vividez da própria fé. Provavelmente porque estivessem satisfeitos com a simples presença daqueles outrora jovens aos pés dos mestres, mas nunca se importaram em verificar o quanto eles estavam confessando em seus corações. Faltou perseverar no ensino.


Em Dt 6:7 a ideia é ensinar dia e noite; com palavras e ações; e sobretudo com a própria vida. Paulo reforça o principio em 2Tm2:2 e 2Tm 3:15, ensinar aos jovens então não é escolha, mas uma obrigação de qualquer Cristão. Somos todos responsáveis pelas gerações mais novas, somos todos professores, quer tenhamos uma lousa ou não.
No entanto, para ajudar é preciso amar. Aguentar sacrificialmente, como Cristo, os destemperos, a mimadez, a imaturidade e os vícios de quem nunca teve um modelo. Se dispor a estar em um sábado a noite no anexo II, no cinema e etc. Lutar pra ser ouvido e quase nunca reconhecido. Por isso fica o nosso convite a servir nesse ministério. Sua ajuda sempre será muito bem vinda. E assim, desde já, tenhamos futuros homens e mulheres que honram o nosso Deus em qualquer circunstância e o agora seja tão bom quanto o lá fora.